segunda-feira, 11 de agosto de 2008

As Flores

Em Abril de 1839 dois cidadãos britânicos desembarcaram na ilha das Flores que, com a do Corvo, é a ilha mais remota e solitária do arquipélago dos Açores. Conduzia-os a curiosidade, que é sempre um óptimo guia. Aportaram a Santa Cruz, uma aldeia situada no extremo setentrional da ilha, que possuía um pequeno porto natural e que ainda hoje é o local mais seguro para desembarcar nas Flores. De Santa Cruz empreenderam uma viagem costeira, a pé e de liteira, até Laje das Flores, que fica a uns quarenta quilómetros de distância, porque queriam ver a igreja que os portugueses ali tinham construído no século dezassete. a liteira, que oito homens da ilha levavam aos ombros, era feita da vela de um barco e, pela descrição dos viajantes, dir-se-ia antes uma rede atada a dois paus. Como todas as outras ilhas do arquipélago, Flores é de formação vulcânica, mas ao contrário de São Miguel e do Faial, por exemplo, que têm praias claras e bosques verdíssimos, esta é uma grande placa de lava negra no meio do oceano.

Mulher de Porto Pim
Antonio Tabucchi
A Ler por aí... nos Açores

Nenhum comentário: