quinta-feira, 2 de maio de 2013

Antonio Tabucchi explica Requiem

(...) uma história como esta só poderia ter sido escrita em português, e pronto. (...) percebi que não poderia escrever um Requiem na minha língua e que precisava de uma língua diferente, uma língua que fosse um lugar de afecto e de reflexão.

Para Ler por aí... em Lisboa


Nenhum comentário: